sábado, 4 de setembro de 2010

Caminhos e descobertas: só o amor liberta...

Gosto de companhia.
Todavia gosto de não pensar em amores frustrantes.
Gosto de lograr êxito momentâneo na tentativa de
mudar
o foco doloroso na vida.

É quando permitimos descanso e paz ao nosso coração
e percebemos que só o tempo age com efeito cicatrizante,
ao "desfocar" o que provoca dor.

É quando sentimos que
vivemos melhor e podemos até 'respirar'... (e isso é um progresso!).
Percebi
que é necessário não precisar de alguém para ser feliz.
Amar e tornarmos felizes por causa do outro.

Devemos nos amar e sermos felizes por nós mesmos.
Brilharmos com naturalidade, deixando sair a luz que há em nós.

Assim atraímos quem gosta de nossa autenticidade.

Percebi
que não devemos nos maquiar para conquistar confiança
ou atenção de outrem simplesmente porque queremos.
Esse caminho é perigoso e pode ser fatal.
Devemos nos valorizar mais e estarmos bem conosco,

afinal somos os únicos que estamos sempre “juntos”
de nós mesmos
pela vida inteira, enfrentando
todas as situações e embaraços de viver.
Descobri
que muitos veem apenas a nossa superficialidade.
Conhecer-nos com profundidade é difícil,
mas se permitir
tentar pode ser uma experiência
encantadoramente envolvente.
Descobri
também que precisamos não ter o peso de existir
e deixar estar, sempre!

Crucialmente temos que ser
essência, destarte atraímos os
amantes
da verdadeira luz que há em nós...
Daí sentimo-nos livres e não mais dependentes, presos, frustrados e cheios de receios...
Com o tempo você se torna mais leve sendo essência
e
não máscara coercitiva que a vida lhe coloca na cara...

É melhor ser você, livre e feliz, independente da opinião alheia.

Talvez seja julgado ou apontado pelos que não se
permitem
na vida e vilmente desfazem de sua audácia
pela busca da bonança.
Melhor ser assim do que ser casca aplaudida, mas infeliz.

Sinto-me hoje em constante aprendizado,
sem pedir
permissões para ser livre.
Naturalmente sou,
e bom é descobrir isso em tempo viável.
Sou assim, convicto e responsável nas minhas atitudes,

mas amante da vida e de suas oportunidades.

Sinto-me solto dançando a melodia da vida.

Sem peso, sem medo, sem privações doentias,
bucando sempre ser mais feliz...
Percebi
enfim, com as experiências, que é preciso amizade na vida.
Vida que embora efêmera e fugaz, torna-se intensa e
compensadora
quando temos uma família que
podemos escolher ao nosso lado.
Hoje também sou assim: coração leve e grato por ter amigos.

Amigos que embora poucos, me enchem de alegria, força e esperança.

Aos meus amigos um “Muito obrigado!” e um alerta:

seja quem você é!
Deus te ama incondicionalmente... (isso importa).
E amigos de verdade não colocam condições para ter sua amizade.

Nada importa, além da tua vida...
além da tua felicidade plena.

Afinal, como diz Lispector, a vida não é de se brincar,

porque um belo dia se morre.

WLucas! ^^


Prazer, sou Wagner Lucas,

WLucas
...

(Que a benção do Autor da Vida esteja sobre nós!).

5 comentários:

  1. own *---*
    que coisas lindas tu escreve, moço *----*
    Cada dia mais, agradeço por ser sua amiga e ter oportunidade de ler esses belos textos seus
    valeu por dividir (atraves do blog) esse seu talento, que é enorme *-*
    =**

    ResponderExcluir
  2. PER-FEI-TO!
    muuuuuito bom mesmo, Lucas *-*

    ResponderExcluir
  3. Muiiiitoooo bom!!! adorei o seu texto.....
    continue assim com esse talento que só vc possui...*---*

    ResponderExcluir
  4. ai seus textos sao de lavar a alma, acho mesmo que nós temos q nos dar mais valor e que não precisamos dos outros para nos sentir melhor...continue escrevendo esses textos lindos que deixam a nossa alta estima la nas nuvens...te adoro muito cv tem umtalento maravilhoso de fazer as pessoas se sentirem amadas...

    ResponderExcluir
  5. marta salomão jardini15 de setembro de 2010 00:29

    Adorei!!!
    Esse texto me fez lembrar Cecilia Meirelles quando ela diz "...nunca estamos sós,pois sempre estamos conosco mesmos"... em qualquer situação que a vida nos impõem chega o momento de estarmos conosco mesmos e aí não dá pra mentir, nem se envergonhar é a gente com a gente mesmo...

    ResponderExcluir