sábado, 11 de setembro de 2010

Almejado equilíbrio



     Chega um tempo em que precisamos analisar nossa vida com uma ótica de fora de nós mesmos e tentarmos ver quais tem sido nossas atitudes e se realmente tem valido a pena tudo que estamos passando, todas as consequências de nossas escolhas, de nossos atos.
     Há em nós um constante vazio que insistentemente buscamos preencher. Não que sejamos egoístas e que queiramos ver completo o que há em nós. Mas é necessidade humana, fisiológica, espiritual, emocional...
     Estamos em constante busca, na tentativa de encontrarmos tempos de ventura, paz, amor, felicidade. Contudo, precisamos discernir se aquilo que buscamos é realmente válido e se nos fará crescer.
Precisamos sopesar razão e coração na tentativa de encontrar o tão necessário, porém difícil, equilíbrio. Verificarmos nossas atitudes, se nos levam ao progresso, à luz ou se nos deixa sempre mais no escuro, nos levando a lugar nenhum.
      Creio que para encontrar o equilíbrio, precisamos nos permitir mais. Permitir mais e sempre... Permitir-nos errar também, porque somos limitados, humanos. E erros devem ser para nós não um motivo de culpa que nos aprisiona em nós mesmos e nos fazem ficar remoendo a nossa existência, mas sim uma força motriz embasada no arrependimento que nos lança, nos impulsiona a partir em busca dos acertos.
     Se precisamos aprender, que vivamos intensamente então, porque se nos privarmos doentiamente, sempre com medo de nos machucar, ficaremos (talvez) ilesos, "seguros". Mas também perderemos oportunidades de viver bons momentos desviando-nos da oportunidade de felicidade ao nos desviar do sofrimento. Se erramos, precisamos aprender que erros podem ser fontes de virtudes, porque a partir deles buscamos caminhos retos, a resposta certa. Só verdadeiramente acerta na vida, quem se permitiu errar e aprendeu com isso.
     Permita-se! Viva...

[Consegui meu equilíbrio cortejando a insanidade, tudo está perdido mas existem possibilidades... - Renato Russo].

Abraços,
WLucas.


Um comentário:

  1. marta salomão jardini15 de setembro de 2010 00:11

    comentar um texto como esse nos leva a uma reflexão ao interior de nós mesmos. Sem medo de errar muitas vezes acertamos o passo com a vida.
    Sem medo de errar aprendemos que errando enxergamos a vida sob outro prisma. Pois é somando erros que temos o resultado real da aprendizagem do que é Paz, Justiça, Amor solidariedade, Amizade...
    Acertos e erros se interpredestinam nossas vidas.
    Seu texto é realmente genial. Parabéns.
    Sinceramente,
    marta

    ResponderExcluir